Parintins em Destaque
O Jornal Popular da Ilha

Alunos das escolas municipais de Barreirinha participaram de feira educacional na sexta-feira (06)

Com o objetivo de despertar nos alunos um maior interesse na aprendizagem da matemática, aconteceu na manhã desta sexta-feira (6) a 1ª Feira Barreirinhense de Matemática, no ginásio Eduardo Braga. A feira foi uma realização da Secretaria Municipal de Educação (Semed), juntamente com a Secretaria de Estado de Educação e Qualidade de Ensino (Seduc).

O evento abrangeu escolas estaduais e municipais, vindo participantes das comunidades de Pedras, Maloca, Matupiri e Ariaú, para a inclusão da educação indígena e quilombola, que trouxeram seus projetos para apresentação.

Estiveram presentes na feira o diretor da Universidade Federal do Amazonas, campus Parintins, Prof. Dr. José Luiz, Prof. Bruno Reis, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (IFAM), e os professores Pedro Coimbra, Antônio Souza e Edson Soares da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e autoridades locais.

O diretor da UFAM, José Luiz, comentou sobre a feira. “É uma amostra que a comunidade precisa saber e que é necessário ser divulgado. A Secretaria Municipal e a Secretaria de Estado de Educação devem continuar a promovê-la para que os alunos possam cada vez mais expressar os seus conhecimentos através da prática’, finalizou.

O secretário de educação do município, Luiz Alberto Pedreno, comenta sobre a importância dos projetos para que os alunos percam o receio pela matemática. “A matemática é uma disciplina ainda vista por muitos como malvada, poucos alunos gostam, então a gente precisa estimular primeiramente o gostar de matemática, e nada melhor do que através de projetos. Os projetos mostram a matemática de uma forma diferente, uma forma lúdica”, disse.

Os alunos Renato Barbosa, 14 anos, e Tamires Silva, 14 anos, moradores da comunidade da Maloca, criaram o projeto “Iluminando meu Lugar com Energia Renovável”, juntamente com os professores que visa solucionar a problemática da falta de energia e água na comunidade. “Quando vai embora a energia, vai embora a água também, então esse é um problema muito grande que as pessoas da comunidade enfrentam. Procuramos uma alternativa para solucionar o problema e foi a energia eólica, uma energia renovável e limpa”, falou Tamires.

Decom BAE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.