Parintins em Destaque
O Jornal Popular da Ilha

Caravana Azulada chega à Parintins com 700 torcedores do Boi Caprichoso de todo o Brasil

São 700 torcedores do Boi-Bumbá Caprichoso, vindos de Manaus, mas com passageiros apaixonados pelo Touro Negro de várias cidades do Brasil.

O Boi de Rua e o Boi de Arena do Caprichoso reúnem os camisas azuladas de todos os cantos do país. Para se juntar à grande festa popular, a tradicional Caravana Azulada, organizada pelo Movimento Marujada, aportou em Parintins hoje, 18, à 11h. São 700 torcedores do Boi-Bumbá Caprichoso, vindos de Manaus, mas com passageiros apaixonados pelo Touro Negro de várias cidades do Brasil.

Após 16 horas de viagem em barco de Manaus até a Ilha Tupinambarana, a Caravana Azulada foi recepcionada pelo presidente do Boi Caprichoso, Jender Lobato, o vice Karu Carvalho, o tripa Alexandre Azevedo, a Marujada de Guerra e a Raça Azul e Branca, fazendo uma animada festa no porto de Parintins.

O presidente Jender Lobato e o vice-presidente Karú Carvalho deram boas-vindas aos apaixonados pelo Caprichoso. “A gente recebe de braços abertos. Todas essas pessoas amam o nosso boi. Não são torcedores comuns, são apaixonados. O Boi de Rua será o maior evento que um boi já fez nessa cidade. Agora, literalmente, o Caprichoso reúne todas as suas forças, torcidas e grupos para a maior apresentação que o boi já fez no Bumbódromo. A nação azul e branca pode esperar que o Caprichoso vai fazer o maior espetáculo já visto na arena e, se Deus quiser, seremos consagrados com o título de campeão”, afirma Jender.

De acordo com o presidente do Movimento Marujada, Beto Vital, a Caravana Azulada teve uma grande delegação de Belo Horizonte, Barcelos, Rio de Janeiro e São Paulo. “Veio gente de muitas partes do Brasil, a maioria de Manaus, para cá, inclusive parintinenses residentes na capital. Trouxemos 700 sorrisos azulados para completar o espetáculo do Boi Caprichoso até a consagração com a festa da vitória. A ansiedade estava guardada há dois anos, aflorou e veio todo mundo num pique maravilhoso. Ninguém dormiu no barco, som ligado o tempo inteiro, banda, e foi uma viagem sensacional, com toda segurança”, descreve.

O parintinense Daniel Júnior Malcher, que mora em Brasília (Distrito Federal) há dois anos, e o filho, Luiz Carlos, enfrentaram uma grande maratona de viagem aérea e fluvial para reencontrar o Boi Caprichoso no festival de Parintins 2022. “É muita emoção ser parintinense, percorrer os quatro cantos desse país e levar o nome do nosso festival com o Boi Caprichoso. Ainda mais ser azul, é maravilhoso e eu sou Caprichoso até morrer. Minha mãe foi diretora social do boi contrário, era o sonho dela eu tocar lá, mas eu gosto de ser Caprichoso”, assegura o torcedor, sócio e ex-marujeiro.

Residente em Parintins há dois meses, o torcedor Netto Ferreira, natural de Tombos, Minas Gerais, foi à Manaus para embarcar na Caravana Azulada e sentir o clima do festival à bordo descendo o Rio Amazonas com a nação azul e branca. “A gente esperou por muito tempo a volta do Boi Caprichoso, do festival de Parintins. Conheci o festival há 10 anos. Me encantei tanto pela cultura e pelo lugar que hoje eu moro em Parintins. Me mudei para cá há dois meses. Fui à Manaus para voltar com a Caravana. Foi como eu iniciei na primeira vez que eu vim. Tenho certeza que será o maior Boi de Rua e o maior festival. Vamos levantar esse título”, enfatiza.

 

Assessoria

Fotos: Arleison Cruz

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.