Parintins em Destaque
O Jornal Popular da Ilha

Lutador indígena de MMA se sagra campeão na primeira edição do ‘Star Combat’

Usando cocar de guerreiro, e ao som da canção “Caminho no Deserto” interpretado na língua materna pela cantora Cláudia Tikuna, Predador representou a etnia Tikuna e também a academia Império CT/CT Emanuel Fight.

O estreante Ronaldo Predador se sagrou campeão na primeira edição do “Star Combat – evento de MMA “Star Combat”. Referência em Amaturá (a 909 quilômetros de Manaus), o atleta de 26 anos venceu seu adversário Jossiney Santos aos 2 minutos e 45 segundos do segundo round, na noite do último sábado (29/05), na academia Workout Box, na Vila da Prata, zona oeste de Manaus. O atleta teve o apoio do Governo do Amazonas por meio da Fundação Estadual do Índio (FEI).

Usando cocar de guerreiro, e ao som da canção “Caminho no Deserto” interpretado na língua materna pela cantora Cláudia Tikuna, Predador representou a etnia Tikuna e também a academia Império CT/CT Emanuel Fight.

O diretor-presidente da FEI, Edivaldo Munduruku, ressaltou o protagonismo do atleta e o que representou ganhar esta luta e, ao mesmo tempo, ganhar espaço enquanto lutador de MMA.

“Ronaldo representou não apenas a sua etnia, mas todos os povos indígenas que sonham em um dia conquistar espaços tanto no esporte quanto na sociedade. Parabenizo o guerreiro pela sua conquista e desejo que mais parentes se espelhem em sua garra, coragem e determinação para alcançarem tais feitos”, destacou.

O treinador, Mestre Rinaldo, falou da vitória e da importância do incentivo que recebeu por parte do governo.

“Essa vitória não é só do Ronaldo, mas de toda uma equipe, de uma etnia e de um povo que estava torcendo por ele. Esse cara é um exemplo de atleta, um indígena de verdade, Tikuna raiz, é um guerreiro que realmente não mede esforços para chegar onde deseja. Conseguimos colocar ele no octógono, onde entrou estreante e saiu como vencedor, com esse incentivo do Estado”, enfatizou.

“Agradeço todo o apoio que os dirigentes da FEI me deram para que eu pudesse conquistar essa vitória. Estou aqui fazendo esse trabalho e vou honrar não somente a minha etnia, mas a todos os povos. Vou continuar na busca do sucesso e levar a cultura indígena para onde eu for”, finalizou o campeão.

Perfil – Ronaldo Nogueira do Carmo, indígena da etnia Tikuna, tem 26 anos, é natural da aldeia Ewari, localizada na ilha do Camaleão em Anamã (distante 165 quilômetros de Manaus).

Ronaldo Predador, como é conhecido, reside há quatro anos em Amaturá, cidade que o acolheu e onde iniciou seus treinos no MMA (Mixed Martial Arts, ou Artes Marciais Mistas). Predador é do clã Boi e, seu nome em Tikuna é Waiyee’ cü que significa “Aquele que Vive no Curral”.

FOTO: Denison Alves/FEI

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.