Parintins em Destaque
O Jornal Popular da Ilha

Márcia Baranda exalta a luta das mulheres na política, a força e a coragem que conduziram sua caminhada na eleição para deputada federal

A mulher que decide participar ativamente da política é atingida pelo preconceito e, muitas vezes, por campanhas difamatórias para prejudicar sua imagem. O tema foi exposto na sessão da Câmara Municipal nesta terça-feira (27), pela vereadora Márcia Baranda (MDBB), que é candidata a deputada federal.

Diante de um público que lotou as dependências da galeria, a parlamentar disse que para a mulher tudo é mais difícil .
“São piadinhas de mal gosto, estratégias para enfraquecer, para te derrubar. Vamos seguir enfrentando as dificuldades, fico feliz quando vejo a casa lotada porque vocês sabem que trazemos as demandas pra cá“, disse a vereadora.

Mexer com quem já ocupa os espaços, gera a violência contra às mulheres na política.
Marcia comparou sua trajetória como a água que vai desviando das pedras, seguindo o caminho, exercitando a capacidade da paciência de contornar cada obstáculo, sem desanimar e sem perder o encanto até chegar ao Rio como a Cachoeira. “A força da correnteza leva toda essa maldade, as brincadeiras de mal gosto, as piadinhas, porque lugar de mulher é sim onde ela quiser“, ressaltou .

Para Márcia, a política da enganação e das promessas tem que acabar. “Precisamos ser verdadeiros, parar com a política da enganação, parar com a política do prometer aquilo que não se pode cumprir, estamos tratando de pessoas, que tem sentimentos e não com mercadorias”, destacou.

Ela falou sobre empatia que é preciso se colocar no lugar do outro. “É muito fácil julgar um produtor rural, chamar de preguiçoso. Vá pro lugar dele, que não tem segurança para vender seu produto. Falam tanto no Setor Primário e em pleno século 21 a gente ainda encontra comunidades sem água”, enfatizou.

Como candidata a deputada federal, ela considera que este é o maior desafio de sua vida, mas com fé em Deus vai cumprir até o fim. “Nós temos um propósito guiado por Deus tenho sempre dito em nossas reuniões que a gente tem que entregar nossos planos para Deus porque são maiores e melhores e isso me mantém forte”, enfatizou.

A parlamentar concluiu dizendo que só tem a Deus. “Não tenho medo de enfrentar problemas, enfrentei o câncer, a morte dos meus pais, mas pode ter certeza, povo de Parintins, vamos continuar lutando por todos. Temos candidatos a estadual e federal que pensam no seu próximo e precisam de uma oportunidade”, declarou.

 

Assessoria

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.