Parintins em Destaque
O Jornal Popular da Ilha

Órgãos públicos de Barreirinha criam rede de conscientização sobre crimes sexuais contra menores

A campanha de prevenção é desenvolvida o ano todo, porém, maio é o mês de referência, com uma série de mobilizações e reflexões acerca desta temática importante.

Uma série de visitas e encontros em comunidades e distritos da região de Barreirinha estão sendo promovidos afim de conter o avanço dos números alarmantes relacionados ao registro de casos de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes registrados no município. A rede de proteção formada por Conselho Tutelar, Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), Polícia Civil e Ministério Público, iniciou neste domingo (23), no Distrito de Pedras, localizado no Paraná do Ramos.

Para evitar aglomeração foram convocados apenas líderes comunitários, profissionais da educação e da saúde, assim como líderes religiosos, a participarem de uma roda de conversa para debater sobre o assunto. De acordo com a assistente social da Semas, Mônica Tavares, o intuito principal da ação é plantar a semente de que a denúncia é o passo inicial para evitar que esse crime ocorra nessas localidades. “Essa ação tem o objetivo de levar para as comunidades o conhecimento dos órgãos que cuidam de denunciar, de atender e de levar ao conhecimento da justiça as situações de abusos e exploração sexual”, enfatizou.

O assessor de promotoria do Ministério Público, Joaquim Alexandrino, que esteve acompanhando a ação, ressalta a importância do diálogo com a população. “O trabalho de conscientização com certeza é importante porque ele pode inibir vários crimes que possam vir acontecer. Esse trabalho social, educativo e, principalmente nas escolas, previne muita coisa”, frisou.

No final da tarde a rede de proteção realizou panfletagem em todo o distrito, expandindo o conhecimento a todos os residentes da localidade. A campanha de prevenção é desenvolvida o ano todo, porém, maio é o mês de referência, com uma série de mobilizações e reflexões acerca desta temática importante.

De acordo com a conselheira tutelar, Hudiciana Beltrão, a ação vai abranger outras localidades nos próximos finais de semana. “Essa ação foi muito produtiva, vamos nos planejar para atingir outros distritos levarmos esta rede de proteção pra gente debater para que os comunitários participem disso”, finalizou.

Em casos de suspeitas as pessoas podem denunciar junto ao Disk Direitos Humanos, ligando no nº 100 ou procurar o Conselho Tutelar ou Creas. As próprias vítimas também podem buscar ajuda por meio do contato ou lugares citados acima.

 

Decom BAE

Foto: Divulgação

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.